Vocações Religiosas: Celebrando o dia da vida religiosa

Por Silvânia Mota e Geraldo Siqueira.

 

Agosto é o mês em que celebramos as vocações na nossa igreja e nesta terceira semana, dedicamos à vida consagrada das religiosas, religiosos e seculares.

Na nossa comunidade, temos a graça de contar com o apoio, orientação e orações das Irmãs Missionárias Carmelitas, sempre presentes nas nossas vidas e celebrações.

Toda segunda-feira, às 19h30, as irmãs promovem no Carmelo, um círculo bíblico baseado na teologia do Frei Carlos Mesters.

A Irmã Alice concedeu uma entrevista à PASCOM e compartilhamos com vocês.

Rezemos ao Senhor que desperte mais vocações para a nossa Igreja e conceda coragem, perseverança e saúde a todos os consagrados e consagradas que dedicam suas vidas à missão.

Nossos agradecimentos às Irmãs Missionárias Carmelitas, em especial: Irmã Marinalda, Irmã Cidilene, Irmã Dalva, Irmã Neide, Irmã Alice, Irmã Ana Emília, Irmã Geo e Irmã Nazaré.

 

ENTREVISTA COM IRMÃ ALICE, RELIGIOSA CARMELITA

PASCOM– Ordem do Carmo, de onde veio este nome?

Irmã Alice– A Ordem do Carmo recebeu esta denominação do Monte Carmelo, montanha Palestina situada ao norte do país, na região da Galiléia, que avança pelo Mar Mediterrâneo. Lá existia grupos eremitas, que à imitação de Elias, o Profeta, levam uma vida solitária no Monte Carmelo dedicando-se quase exclusivamente à oração. Dessa Ordem surgiram várias ramificações, entre elas a nossa Congregação.

PASCOM– Em que consiste o Carisma Carmelita?

Irmã Alice– Por sua origem, a Congregação das Irmãs Missionárias Carmelitas tem como carisma: viver em fraternidade orante e está disponível para a missão, no meio dos pobres e excluídos da sociedade, a exemplo de Madre Carmelita e Frei Casanova que com o olhar contemplativo, foram sensíveis à situação do povo sofrido do Nordeste e consagraram suas vidas à evangelização, educação e assistência aos pobres de seu tempo.

PASCOM– Em quantos países se encontra a Ordem Carmelita?

Irmã Alice –A Congregação das Irmãs Missionárias Carmelita se encontra num só país. Já tivemos uma casa na Colômbia, mas foi fechada, (extinta). Somos uma Congregação brasileira, tipicamente nordestina, fundada na Paraíba, no Sertão de Princesa Isabel.

PASCOM – Aqui na Paraíba, há quantas casa religiosas carmelitas e quantas irmãs?

Irmã Alice – Na Paraíba temos 08 casas (comunidades) e 41 irmãs. Atuamos ainda nos estados do Rio Grande do Norte, Pernambuco, Pará e Minas Gerais.

PASCOM – Como deve proceder uma jovem que deseja ser freira carmelita (ingressa na vida religiosa)?

Irmã Alice – A jovem que tem desejo, deve entrar em contato com alguma comunidade que ela conheça ou irmãs, solicitar nome e endereço da equipe que acompanha as jovens vocacionadas.  A partir daí se dá o encaminhamento necessário para o ingresso.

PASCOM – E a sua vocação, como se deu esse chamado?

Irmã  Alice–Foi muito simples. Primeiro é Deus que toma a iniciativa. Ele chama pelo nome. Ele nos tira do anonimato e confere uma missão. O mundo nos toca e interpela, cabe resposta da pessoa. Apesar de ser de uma família tradicionalmente cristã, tudo começou quando li o livro “História de uma alma” de Santa Teresinha e fiquei apaixonada por Jesus Cristo e a espiritualidade carmelitana. Eu só conseguia me ver dentro do Carmelo, sem nunca ter visto uma freira pessoalmente. De imediato falei com o meu vigário Cônego Antonio Anacleto sobre o meu processo de transformação e inquietação. Pedi sua ajuda e ele entrou em contato com a madre Geral da Congregação e tudo foi favorável para o meu ingresso. Na época eu tinha 19 anos de idade. Por motivos familiares só foi possível a minha ida aos 21 anos. Minha mãe havia falecido e eu fiquei cuidando dos meus 5 irmãos. Com o segundo matrimônio de meu pai foi possível o meu ingresso. Meus irmãos ficaram sendo bem cuidados. “Coisa de Deus”. Meu pais foi quem me levou para o Carmelo. Feliz muito saudoso. Todos da minha família choraram muito, inclusive eu.